1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (Sem avaliações)
Loading...

3 maneiras de conseguir um financiamento estudantil

Estudar em uma escola particular no Brasil não é nada fácil para quem veio de uma família humilde e sem dinheiro para o básico. Mas, com o passar dos anos, além dos programas sociais e inúmeros meios de se co seguir uma bolsa de estudos, temos também nas mãos a chance de parcelar o valor da faculdade por meio de financiamentos estudantis. Ex: Prouni, Fies, Pep e outros.

3 maneiras de conseguir um financiamento estudantil

Confira a seguir 3 formas bem eficazes de conseguir um bom financiamento estudantil:

1 – Financiamento estudantil: Fies

O FIES é o Fundo de Financiamento Estudantil que foi instituído pelo Ministério da Educação, sendo destinado a financiar a graduação na educação superior para pessoas que estão matriculadas em instituições com liberação do MEC (privadas).

Pode fazer parte do FIES as pessoas que estão devidamente matriculadas em cursos superiores e que tenham avaliação positiva nos processos do MEC que avaliam a qualidade do ensino superior no Brasil.

fies

Fies. Imagem:divuglação

– Novidades no FIES

No ano de 2010, o FIES teve algumas mudanças e passou a operar em um novo formato. Agora, o FIES tem a taxa de juros de financiamento de 3,4% ao ano e o período de carência de pagamento agora é de 18 meses, sendo que esse período de amortização passou a ser de três vezes o período de duração regular do curso + 12 meses.

O Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE) agora é  o Agente Operador do FIES para que contratos sejam formalizados a partir de 2010.

Fies

Fies. Imagem:divulgação

Fora tudo isso, o percentual de financiamento aumentou e agora é de até 100%, sendo que as inscrições deixaram de ser feitas em fluxo contínuo, possibilitando ao estudante que faça a solicitação do financiamento em qualquer mês do ano.

2 – Financiamento estudantil Pravaler

O maior programa de crédito universitário privado do Brasil na verdade não é o FIES e sim o Pravaler. Esse programa já auxiliou mais de 40 mil estudantes a fazer o pagamento da sua faculdade sem ter que passar por aperto financeiro todos os meses.

prevaler

Prevaler. Imagem:divulgação

Ao contrario do FIES que a pessoa precisa ter feito o Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) para poder pedir a contratação, no Pravaler nada disso é necessário. A contratação é fácil, rápida e sem burocracia.

3 – Financiamento estudantil junto aos bancos

O financiamento estudantil pode ser feito junto ao seu banco, aonde você te, conta corrente ou salário. Os principais bancos do Brasil oferecem sim condições de financiamento estudantil para os seus clientes por meio financiamentos que podem te ajudar a ter o sonho de fazer uma faculdade mais próxima.

Para mais informações entre em contato com o banco da sua preferência.

Educa Mai Brasil – Desconto na Faculdade

O Educa Mais Brasil é um dos melhores meios de conseguir um desconto para fazer uma graduação ou pós-graduação. Com o Educa Mais você consegue bolsa de estudo com até 70% de desconto para fazer graduação e pós-graduação à distância ou em faculdades de modo presencial.

educa-mais-brasil

Educa Mais Brasil. Imagem:divulgação

No site você também encontra desconto para fazer cursos de aperfeiçoamento profissional e de línguas. Quem não consegue um financiamento pode tentar esse meio de conseguir fazer um curso superior de qualidade.

Para saber se tem um curso na sua cidade por meio do Educa Mais Brasil acesse: https://www.educamaisbrasil.com.br.

PEP – Parcelamento estudantil que substitui o FIES

O Parcelamento Estudantil Privado não é um financiamento como os demais que conhecemos, mas sim uma forma de conseguir ingressar no ensino superior pagando a sua faculdade de modo parcelado, sem precisar ter um crédito aprovado depois de uma análise.

Quem por fazer parte do PEP (Parcelamento Estudantil Privado)?

Deve fazer parte do programa de parcelamento estudantil PEP somente a pessoa que fizer o vestibular, for aprovado e for se inscrever no curso superior escolhido. Se esse curso estiver na lista do PEP como sendo um dos cursos contemplados pelo programa de parcelamento da instituição você pode fazer a adesão do programa no ato de matrícula mesmo.

PEP - Financiamento Estudantil Privado. Imagem:divulgação

PEP – Financiamento Estudantil Privado. Imagem:divulgação

Diferença do PEP com relação ao FIES

O Parcelamento Estudantil Privado e o Financiamento Estudantil (FIES) funcionam de uma forma totalmente diferenciada, mas com o mesmo propósito: ajudar quem não tem dinheiro a cursar o ensino superior.

O Parcelamento Estudantil Privado trata-se de um parcelamento do valor do seu curso superior, enquanto o Financiamento Estudantil do governo é um financiamento de até 95% do valor da sua graduação, com taxas de juros relacionadas a cada mensalidade que você for pagar e pagamento das parcelas que começam somente dois anos após a data da sua formatura.

O Parcelamento Estudantil Privado não possui juros agregado algum, justamente porque é um parcelamento e não um financiamento. O PEP permite que você pague a sua graduação de modo parcelado, sendo que parte desse pagamento começa enquanto você está estudando e depois você paga o restar.

Pep - Parcelamento Estudantil Privado.

Pep – Parcelamento Estudantil Privado. Imagem:divulgação

O pagamento por meio do Parcelamento Estudantil Privado deve ser finalizado pelo mesmo período de tempo de curso. Dessa forma, se a sua graduação teve duração de quatro anos você precisa pagar em até quatro anos o parcelamento. Já no caso do FIES o financiamento pode levar até 12 anos para ser quitado, com isso, o valor da graduação final é exorbitante.

No caso do Financiamento Estudantil (Fies) o estudante que desejar tentar o financiamento precisa ter realizado a última edição do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). Além de ter feito a prova é preciso ter tirado ao menos 450 pontos, sendo que a pontuação na redação precisa ser maior que um.

Já os interessados em aderir o PEP não precisam de nada disso, pois o Enem não é uma exigência para ter acesso ao PEP.

firs

Fies. Imagem:divulgação

Outro diferencial entre o Parcelamento Estudantil Privado e o Financiamento Estudantil (FIES) é que as pessoas selecionadas no FIES precisam abrir uma conta bancária no Banco do Brasil. Já os contratantes do PEP não precisam nem ter conta bancária para aderir ao programa.

Vale deixar claro também que para aderir ao Fies é necessário passar por uma análise de crédito e socioeconômica e para o PEP nada disso é solicitado. O PEP vai estar disponível a todos os estudantes assim que foram fazer a sua matrícula na faculdade escolhida, caso ela faça parte do programa e o seu curso também.

Documentos necessários para se inscrever no PEP

Para fazer a sua inscrição no PEP é necessário que a pessoa tenha os documentos de matrícula exigidos pela instituição de ensino superior, que geralmente são:

– Cópia e original de um documento com foto (RG, Carteira de habilitação, Carteira de trabalho)

– Cópia e original do CPF

– Cópia e original do certificado de conclusão de ensino médio

– Comprovante de renda, que pode ser o recibo com a descrição dos seus rendimento, por exemplo. (documento para usar no momento de adesão do PEP)

– Cópia e original de um comprovante de endereço (conta de água, luz, telefone no nome do aluno ou dos pais)

maxresdefault

Pep – Imagem:divulgação

* Caso a pessoa resida em um imóvel alugado pode pegar o contrato de locação em conjunto com o comprovante de endereço para atestar residência.

Outros documentos que comprovem dados informados no momento da inscrição do aluno podem ser solicitados.

Os alunos que já são inscritos em cursos das instituições participantes do PEP não podem fazer parte do programa, que somente contempla os ingressantes na graduação em 2016

Faculdades participantes do Parcelamento Estudantil Privado

– Grupo Anhanguera Educacional

– Fama

– Pitágoras

– Unic

– Uniderp

– Unime

Para mais informações acesse: http://www.parceleafaculdade.com.br